Como escolher quadros para o ambiente de sala?

Para decorar um ambiente com elegância, personalidade e estilo, quadros não podem faltar nas paredes. Mas, se você não sabe muito bem como escolher quadros para a sala, leia o artigo abaixo e aprenda a fazer composições de bom gosto.

Tipo de arte, de moldura e posição

Escolher um quadro não é uma tarefa fácil. É preciso definir o tipo de arte da tela, a moldura que a destacará e também em qual parede e de que forma a obra ficará exposta. É necessário que o conjunto faça parte da decoração do ambiente, trazendo harmonia estética.

Portanto, neste artigo você saberá como dispor quadros na sala, fazendo com que a missão citada acima seja obtida.

Leve o tema em consideração

Para escolher o tema do quadro exposto, você deve levar em conta o tema do ambiente. Ou seja, se a sala possuir muitos objetos contemporâneos, é interessante que a obra também contenha.

Se o local contiver motivos românticos, mais delicados, é bacana que o quadro também tenha, como flores pequenas, animais domésticos, etc. Aqui não combina uma tela com motivos marcantes, por exemplo.

 

Quadro para sala de estar

O local ideal

Definido o tema, é preciso escolher a parede onde essa obra será posta. Os quadros para sala clássica geralmente ficam na parede frontal ou então dois iguais, em paredes laterais, um espelhando o outro.

E mais: você não precisa colocar os quadros nas paredes, se o estilo de sua sala for mais moderno. Este visual permite que eles fiquem dispostos no chão ou apoiados em aparadores. Eles podem, inclusive, ser perdurados atrás do sofá ou na parede das escadas.

 

As cores da tela

Conforme já citamos em outro artigo, não se deve combinar a moldura com as cores da decoração do ambiente. Porém, é interessante que a tela esteja em harmonia com a sala, especialmente na coloração.

Por exemplo: se as cores quentes predominarem na decoração, é ideal que elas também dominem a tela. O mesmo acontece com as cores neutras ou frias. A cor da moldura também vai nessa orientação, sendo que elas podem ser mais trabalhadas quando a obra for mais clássica, e mais reta e simples se a tela for moderna.

 

O tamanho do quadro

Já citamos várias vezes que os quadros para sala devem manter a harmonia do ambiente e isso também é influenciado pelo tamanho da tela. Se o cômodo for pequeno, como um apartamento compacto, o quadro deve ser menor também, para não gerar poluição visual.

Contudo, se a sala for grande e bem arejada, fica excelente uma obra na parede central, mantendo sua proporção em equilíbrio.

 

Quantos quadros colocar?

A quantidade de telas em uma sala também vai depender do seu estilo. Se ela for mais atual ou vintage, é interessante colocar vários modelos, de tamanhos diferentes, bem como de motivos. Isso dá aparência de museu artístico e traz personalidade e modernidade ao ambiente. Faça isso se você não tiver medo de ousar.

 

Como escolher quadros dípticos

Se você ainda não conhece a última palavra mencionada acima, significa em dupla, com o mesmo formato e linguagem. A ideia te interessou e você pretende escolher quadros dípticos para a sala?

Eles são recomendados para preencher a decoração, mas devem ser dispostos em um eixo central, com uma boa distancia entre os dois, sempre respeitando a proporção com a parede.

 

 

Como escolher quadros polípticos

Se você gostou muito da sugestão acima e não tem medo de ousar, sempre optando por personalidade e estilo na decoração de seus ambientes, a dica da vez são quadros polípticos.

Eles são semelhantes aos quadros dípticos pela disposição no ambiente, mas não necessariamente precisam ser iguais. Explicando melhor, um complementa o outro, formando uma espécie de unidade na parede, como um quebra-cabeça já montado.

Mas não é simplesmente sair colocando quadros semelhantes nas paredes. O ideal é dispô-los no chão para ver como ficam e, se ficar bem, aí sim pendurá-los. É preciso harmonizar as cores e tamanhos, sempre pensando no equilíbrio.

 

Harmonia é essencial

Escolher quadros para a sala não é uma tarefa muito difícil, mas requer atenção na definição de cores, molduras, disposição, localização e quantidade. Isso deve ser feito prezando a harmonia do ambiente, sem que a obra se destaque demais.